quinta-feira, 21 de maio de 2015

Relacionamentos em tempos de Whatssap




   Existem muitas coisas que podem afetar um relacionamento, mas dos anos 2000 para cá elas se potencializaram (e muito!) com o surgimento das redes sociais. Mas, o que muda realmente dentro do cenário amoroso? Ou melhor: O que não deveria mudar?

Em 2004 surgiu o Orkut, site de relacionamento onde você podia comentar fotos, deixar recados ou escrever depoimentos para alguém, e outra característica bastante interessante do Orkut era a possibilidade de ver quem visualizou o seu perfil nos últimos dias ou semanas. Isso, de certa forma, acabava te deixando com dúvidas quando, por exemplo, uma amiga em comum do seu marido ou namorado havia clicado "em você", o que te fazia "clicar nela" e levantar a seguinte questão: "Quem é essa vaca?". Depois de fuçar toda a vida da dita cuja, desde as comunidades, depoimentos e scraps escritos há mais de um mês, você resolve dizer para ele que uma tal de Danizinha Love entrou no seu orkut e você percebeu que era uma amiga em comum dele, e pergunta ainda de onde eles se conhecem. Aí querida, começa uma DR.

    Mas o Orkut morreu, e foi assim que todos aderiram ao Facebook, aonde você tem a opção de marcar fotos, o status de relacionamento e até mesmo com quem; mas não dá para ver quais foram as últimas pessoas a visualizarem seu perfil, trouble. Então qualquer menina que curta as fotos do boy repetitivamente vira um sinal de alerta.  Depois de perceberem que essas redes sociais eram públicas demais criaram o WhatsApp, aplicativo de conversa semelhante ao falecido MSN mas que te traz a privacidade necessária para ter as conversas que quiser, inclusive enviando e recebendo fotos instantaneamente.

 Mas a verdade amiga, é que não importa a tecnologia que você utiliza ou mesmo se você utiliza todas elas pois há tempos mandávamos cartas, hoje em dia um clique é suficiente mas o respeito não deve mudar com os avanços tecnológicos. Então aqui vai uma dica para você que é comprometido e ainda assim mantém conversas com pessoas do sexo oposto mesmo sabendo que seu namorado ou namorada não gostaria: pare. Aprendi que nunca devemos fazer aos outros aquilo que não gostaríamos que nos fizessem, mas se alguém por acaso o fizer, não fique calado ou sem ação, procure expor o que pensa e se ainda assim não resolver, você pode escolher aceitar ou não ser desrespeitado dentro de seu próprio relacionamento. Mas acredite, nunca será a mesma coisa!

Cuidado com as redes sociais! Elas são extremamente úteis e divertidas, mas se não soubermos respeitar os limites acabamos presos numa rede de mentiras, o que por vezes a rede acaba sendo. Então mais uma vez, cuidado! Meça suas mensagens, parça.

#Ficadica


2 comentários:

  1. Olá Amanda!
    eu ri da frase " meça suas mensagens parça" kkkk
    é verdade tudo o que disse no texto, as redes sociais acabam sendo iscas para acreditarmos que ninguém e nem nada pode nos barrar, uma comunicação sem limites, sem respeito com o parceiro confiados em um silêncio privativo dos usuários, que na maior parte das vezes é uma ilusão.
    acho que a dica é, respeite, se está em um relacionamento, respeite quando ninguém vê, ninguém lê, porque no final das contas, tudo o que se faz, se volta.
    Enfim, é preciso vigiar o tempo todo kk.
    Saudades suas, como tem passado?
    Beijocas
    (espero que não abandone o blog depois do seu site)

    ResponderExcluir